Utilidade Pública
Links Relacionados

Comunidade e Prefeitura promovem Dia D de preservação do Rio Cochá



Pessoas da comunidade, estudantes, representantes da Emater e Copasa, ativistas ambientais e servidores públicos municipais de diversos setores participaram neste domingo (19) do Dia D de limpeza do Rio Cochá.

 

Uma ação conjunta entre comunidade e prefeitura para conscientizar a população da importância dos nossos rios e de como preservá-los.

 

 

 

Pioneirismo e adesão

 

Tudo começou com uma cidadã cochanina, Claudete Andrade, que, ao levar seu filho para nadar nas águas do rio Cochá viu a sua degradação e se sentiu na obrigação de desenvolver algum projeto para limpeza e preservação do principal rio da cidade.

 

Claudete desenvolveu uma campanha nas redes sociais e logo teve a adesão de muita gente. Amigos, comunidade, comerciantes... todos se uniram em prol da limpeza e preservação do rio Cochá, participando das mais diversas formas.

 

A Prefeitura, através da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, aderiu ao projeto e destinou total apoio na empreitada.

 

Mobilização realizada, foi marcado para o dia 19 de outubro o movimento de limpeza e preservação do Cochá.

 

O Dia D

 

E neste dia, logo cedo, as pessoas começaram a chegar num clube da cidade, onde foi servido um café da manhã para que todos estivessem com as energias recarregadas na grande ação ecológica-ambiental.

 

O secretário municipal de agricultura e meio ambiente, Jackson Ferreira, abriu o evento dizendo sobre a importância da união em qualquer projeto a ser realizado.

 

O secretário falou para todos deixarem as desavenças de lado e se unirem em torno de um mesmo ideal, que é salvar os nossos rios. O secretário disse ainda que todos devem ter conscientização ambiental e sobre o trabalho de plantação de mudas nas margens dos Rios Cochá e Poções que a secretaria irá desenvolver em breve, o que poderá amenizar o processo de degradação e erosão.

 

Representante da Emater, Vanderlei de Carvalho, falou sobre a importância de se preservar as nascentes dos rios  e da consciência que cada um deve e precisa ter em cuidar e preservar.

 

 

 

 

O ativista Marcone Edson Barbosa também falou sobre a união e contou a parábola do beija-flor, quando o pequeno e frágil pássaro, junto com seus companheiros, se uniram e, de balde em balde d’água, apagaram um grande incêndio na floresta.

 

Outro incansável ativista ambiental da cidade, Petrônio Azevedo, também falou da importância da conscientização e de várias maneiras de como preservar os rios, como a criação de eventos educativos, a participação das escolas nesse processo e na criação de levantamentos e projetos bem elaborados para serem enviados ao Ministério do Meio Ambiente em busca de recursos para desenvolver ações de conscientização e preservação.

 

Depois das falas todos se equiparam com luvas e sacos de lixos e foram rumo à Barragem começar, de fato, a limpeza do rio.

 

Falta de conscientização

 

Os “limpadores do rio” desceram da Barragem até o encontro do rio Cochá com o rio Poções recolhendo tudo que poderia estar sujando e poluindo o rio. Neste percurso foram recolhidos, segundo os organizadores, duas caçambas de lixo, dos mais inusitados materiais como pneus, garrafas pet, roupas, sapatos, cobertores, sofá, móveis e até um guarda-roupa cheio de roupas.

 

 

 

- Fiquei horrorizada com tamanho descaso, irresponsabilidade e falta de consciência das pessoas! Reclamou Claudete.

 

A ativista disse que esta foi apenas a primeira das ações que pretende desenvolver, com a participação de todos, para conscientizar as pessoas e limpar e revitalizar nossos rios. E que os próximos passos serão visitar e monitorar as nascentes e continuar a limpeza do Cochá e também do Rio Poções, o Poçãozinho.

 

 

 

 

E o projeto continua

 

No encerramento foi servida uma feijoada para todos no Clube da Maçonaria. O prefeito Jordão Medrado parabenizou a mentora do projeto e falou também sobre a importância da conscientização e das ações a serem desenvolvidas pela Prefeitura, através da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente. O prefeito garantiu também analisar e por em prática os pedidos da ativista, assim que for possível.

 

 

 

Claudete disse que se sentiu desanimada no início, pela pouca quantidade de pessoas que compareceram, mas que sentiu muito satisfeita e realizada com o sucesso do movimento e que não vai parar de agir. Encerrou dizendo que há a necessidade urgente de se colocar tambores de lixos com o recolhimento dos mesmos e plantar mudas nas margens do rio, principalmente em locais de muito acesso de pessoas, como a barragem, proximidades de clubes, bares, locais onde pessoas ainda lavam roupas e também a fixação de placas educativas nestes mesmos locais.

 

- Espero poder contar com a participação de mais pessoas. Temos que nos unir na slvação de nossos rios. Só assim poderemos pensar em dias melhores para nossos filhos e netos! Não vamos desistir, precisamos lutar para preservar nossos rios e isso depende de cada um de nós! Disse Claudete, que deve servir de exemplo para toda a comunidade cochanina.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 












Comentários



Nome: laudemares Mendes caldeira       E-mail: laudemaresmendes@gmail.com


Parabéns pela iniciativa ,pela ação, é um grande exemplo para todos seguirem . Temos que salvar nosso planeta ,nosso povo nossa gente, temos que sobreviver. GRANDE INCENTIVO!!!!!!!
Nome: Marconi Edson Rodrigues Barbosa       E-mail: marconiedsoprogresso@hotmail.com


Fiquei feliz por ter exercido meu papel de Biólogo e de Cidadania. Recolhi 8 sacos de linhagem de lixo. Conheci de perto a situação do Rio Cochá. A revitalização deste Rio é mais complexa. Mas demos bom exemplo e que se estende para outros Rios. Ma só dará certo com a conscientização de todos e não logar lixo em nossos Rios. Fiquei triste neste importante evento não está presente nem um Vereador, para que os quais pudessem observar, analisar para elaborar, Projetos de Leis focando a defesa do Rio Cochá. Foi ótimo. No trecho que percorremos, o trabalho de limpeza foi bem feito. Eu observei que tem de preservar as matas ciliares e retirar as madeiras dentro do leito do rio para impedir o assoreamento. Notei em alguns trechos de águas lénticas, pbres em 02. Tem que haver projetos amplos e ecologicamente correto para salvar os nossos Rios da sub bacia do Rio São Francisco. E também dos Córregos secundário que perpetua as perenidades dos Rios; voltando afluir os minadouros que ficam dentro e em suas margens. Na posição de Biólogo e Cidadão participativo, estarei sempre participando, sem querer tirar proveito próprio, mas sim, contribuir para um desenvolvimento sustentável.
Webmail
Senha:

Enquete
Resultado parcial


Previsão do Tempo




 

Prefeitura de Montalvânia-MG

Todos os direitos reservados

Jornalista Responsável: Fernando Paulo Lima Abreu

RP JP/MG 11.042

 

NJ Gabling Sites